De passagem

O mais difícil é sonhar que a gente está lá. No sonho, ver quem a gente ama ainda é apenas uma questão de sair de casa e circular pelas ruas de sempre, de fazer um telefonema, de enfrentar o engarrafamento. Mas as ruas de sempre aos poucos se tornam outras, os telefonemas viram interurbanos e os engarrafamentos, passagens compradas na promoção. Como nós, outros também estão partindo, seja mudando de cidade, de país ou de rotina. E a realidade do sonho, das nossas lembranças, talvez não fique lá por muito tempo. A nossa partida já a modificou, de certa forma.

Cruzar o Atlântico de avião talvez seja a única chance de reverter essas transformações. Quando todos nós convergimos para o mesmo lugar, independente do quão diferente está a vida de cada um, voltamos à realidade do sonho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s